JOAQUIM NABUCO | Ser Educacional
30 Janeiro
Paulista
Exercício x Emagrecimento
Por Michela Caroline

*Por Wagner Lima

Mesmo com o aumento da adesão na quantidade de pessoas associadas a prática de atividade física em todo o mundo, intrigantemente também tem aumentado a quantidade de pessoas com problemas de obesidade, e esta realidade acaba trazendo à tona alguns questionamentos sobre a real eficiência dos programas ditos de emagrecimento existentes.

Será que as recomendações dos exercícios estão de acordo com a real necessidade e possibilidade das pessoas? 

Apesar da má adesão por longos períodos ser um problema, ela não parece ser o único fator de insucesso dos planejamentos que objetivam a redução de peso em obesos e sobrepesados (Finley et. al. 2006). Algumas outras armadilhas parecem estar escondidas nesses programas, e é necessária uma visão um pouco mais crítica e menos submissa para observá-las.

Alguns autores, em linhas gerais, já chamaram a atenção para as falhas nos programas de emagrecimento que se pautam em exercícios de baixa intensidade e restrição calórica severa, e propõem uma nova abordagem, com exercícios menos volumosos e de maior intensidade, com inclusão de musculação e dietas sem restrições excessivas. Ou seja, a velha ideia de que para emagrecer, seria necessário começar a caminhar, correr, pedalar, etc., e “fechar a boca”, parece ser questionável segundo as novas linhas de pesquisa atuais.

Segundo Paoli, 2014, sucesso de um programa de emagrecimento está pautado na melhora da composição corporal e manutenção dessa melhora. Para isso é necessário que haja interferências positivas em 3 elementos importantes:

- Metabolismo de repouso;

- Efeito termogênico dos alimentos;

- Gasto energético nas atividades diárias.

Sabendo disso, podemos entender algumas das armadilhas existentes.

Um artigo de revisão publicado de 2014 por pesquisadores americanos (Swift 2014) tratou do assunto perda de peso, comentando as mais atuais publicações sobre o assunto e chegou a algumas conclusões que merecem destaque:

1) Aeróbio sozinho causa modesto emagrecimento, de 2 kg no máximo (estamos falando de perda de peso e não gordura) para períodos muito grandes, alguns com mais de 1 ano de intervenção. E ainda assim isso só com ocorre em poucos trabalhos e com altos volumes.
2) Para que se potencialize a perda de peso deve-se introduzir controle alimentar de característica restritiva e, nesses casos, aeróbio associado a dieta proporciona as mesmas perdas que apenas dieta.
3) Adotar uma vida ativa acompanhada de dieta leva às mesmas perdas e previne melhor o reganho de maneira mais eficiente que realizar aeróbio de baixa intensidade e alto volume combinado com dieta restritiva, o que ficou bem claro no trabalho de Ross et.al. de 1999.

Pelo visto, a estratégia de exercícios usada ao longo das últimas décadas, pelo fato de acumular diversos fracassos e se tornar desestimulante com o passar do tempo, parece estar agonizando e precisa urgentemente ser substituída por algo que de fato funcione e garanta o sucesso do processo de emagrecimento do ponto de vista sustentável. As pessoas desejam emagrecer e continuar magras!

Aqui no Curso de Educação Física da Faculdade Joaquim Nabuco, estas e outras questões serão abordadas, garantindo uma formação consistente e voltada para a real necessidade de mercado.

Vem pra Nabuco!

*inscrições abertas: 2121.5979

 

 

 

30 Janeiro
Recife
PRORROGAÇÃO Período de Renovação de Matrícula
Por Maria Amélia

Atenção!!!

O período de renovação de matrícula foi PRORROGADO para até o dia 06 de fevereiro de 2017.

Nâo perca a oportunidade de realizar a sua renovação sem o acréscimo de taxa de retardatário.

Tags: 
30 Janeiro
Recife
BOM DIA COM CRISTIANO LIMA
Por Romero Ferreira

Bom dia e um excelente início de semana para todos!!!

MERCADO

Com o feriado na China, os investidores avaliam os dados piores de atividade no Japão e confiança moderada na Europa, aguardando agora os números de inflação na Alemanha e nos Estados Unidos. O tema central, no entanto, continua sendo os anúncios do novo governo norte-americano, que cumprem o discurso de campanha e trazem volatilidade aos mercados. Localmente, há a expectativa com relação a novos fatos da operação Lava Jato.

CÂMBIO 

O sentimento global continua desfavorável, com maior aversão a risco e preços de commodities em queda. O dólar global continua recuperando parte do terreno perdido nas últimas semanas. Com risco soberano controlado, no entanto, o BRL não deve mostrar grandes variações.

Então o mercado abre COM DOLAR EM LEVE baixa DE -0,10% VENDIDO A 3,174 NA VENDA... O EURO ESTÁVEL VENDIDO A 3,405.

(Fonte Broadcast – http://experiencecambio.com.br )

 

DOLAR ABRINDO EM LEVE QUEDA DE -0,02% COTADO NO USD 3,15. O EURO VEM EM ALTA DE +0,28% COTADO A EUR 3,373.

Algumas notícias de hoje:

 

1.       O mercado nacional tem sua abertura às 10:00h (horário de Brasília). 

 

2.       No período de vigência do horário de verão, a mesa de operações será aberta das 9:00h às 11:30h no período da manhã e à tarde das 13:00h às 15:15h (Horário local de Recife) 

 

Taxas de abertura do BACEN 10:00h (horário de Brasília). Apenas informativo, não sendo taxa para fechamento. Todo fechamento recebe a taxa do momento da cotação, devido a oscilação do mercado.

 

Abertura do Mercado

 

USD 3,150

EUR 3,373

GBP 3,987

 

SÃO PAULO (Reuters) - A expectativa para a taxa básica de juros em 2018 voltou a cair nesta segunda-feira na pesquisa Focus do Banco Central, em que os economistas realizaram pequenos ajustes em suas projeções.

A projeção para a Selic no ano que vem agora é de 9 por cento, contra 9,38 por cento antes, na quarta semana seguida de redução. Para este ano, a conta permaneceu em 9,50 por cento, com os especialistas consultados vendo na reunião de fevereiro do BC um corte de 0,75 ponto percentual na Selic, atualmente em 13 por cento.

O Top-5, que reúne as instituições que mais acertam as projeções, entretanto, veem a Selic a 9,5 por cento tanto este ano quanto no próximo.

A expectativa para a alta do IPCA em 2017 foi ajustada para baixo em 0,01 ponto percentual, a 4,70 por cento. Já para 2018 permaneceu sendo de 4,5 por cento. Para os dois anos, a meta é de 4,5 por cento, com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual.

Já as contas para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) não foram alteradas, com perspectiva de expansão de 0,50 por cento em 2017 e de 2,20 por cento em 2018.

 

SÃO PAULO (Reuters) - O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) acelerou a alta a 0,64 por cento em janeiro, após avançar 0,54 por cento no mês anterior, diante da maior pressão dos preços ao consumidor.

Ainda assim, o dado divulgado nesta segunda-feira pela Fundação Getulio Vargas (FGV) ficou abaixo da expectativa em pesquisa da Reuters de alta de 0,72 por cento em janeiro, na mediana das estimativas.

Com peso de 30 por cento no IGP-M, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) acelerou a alta a 0,64 por cento em janeiro, sobre 0,20 por cento antes.

A principal contribuição para o resultado veio do grupo Habitação, cujos preços avançaram 0,10 por cento depois de um recuo de 0,62 por cento no mês anterior, pressionado principalmente pela tarifa de eletricidade residencial.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que mede a variação dos preços no atacado e responde por 60 por cento do índice geral, subiu 0,70 por cento no primeiro mês deste ano, contra 0,69 por cento em dezembro.

No atacado, os Bens Intermediários tiveram forte alta, saltando 1,05 por cento, ante 0,53 por cento no mês anterior, com destaque para o subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção.

Já o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) desacelerou a alta a 0,29 por cento em janeiro, depois de ter subido 0,36 por cento em dezembro.

O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de energia elétrica e aluguel de imóveis.

(Por Thaís Freitas)

 

SÃO PAULO (Reuters) - O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou a compra da distribuidora de produtos químicos quantiQ, da Braskem, pela GTM, empresa controlada pelo fundo de private equity Advent, segundo despacho publicado no Diário Oficial da União nesta segunda-feira.

A aquisição foi aprovada sem restrições. A Braskem anunciou o acordo de venda da quantiQ para a GTM por 550 milhões de reais em 10 de janeiro.

Confiança econômica da zona do euro atinge máxima de quase 6 anos em janeiro

BRUXELAS (Reuters) - A confiança econômica da zona do euro subiu para a máxima de quase seis anos em janeiro, contra expectativas de um ligeiro declínio, uma vez que melhorou o clima na indústria, nos serviços, no setor financeiro e entre os consumidores, segundo dados da Comissão Europeia nesta segunda-feira.

A pesquisa mensal da Comissão mostrou que a confiança econômica nos 19 países que usam o euro subiu para 108,2 em janeiro, de 107,8 em dezembro, bem acima da média de longo prazo de 100 e a máxima desde março de 2011.

Economistas consultados pela Reuters esperavam um ligeiro declínio para 107,7.

Separadamente, o indicador do clima empresarial da Comissão, que aponta para a fase do ciclo de negócios, manteve-se inalterado em 0,77 ponto, nível mais elevado desde junho de 2011.

"A evolução ligeiramente positiva na confiança da zona do euro resultou de melhorias na confiança da indústria, dos serviços e dos consumidores, que superaram a diminuição do varejo e da confiança na construção", afirmou a Comissão em comunicado.

A confiança da indústria saltou para 0,8 ponto, de 0,0 em dezembro, acima das expectativas do mercado e bem acima da média de longo prazo de -6,5.

A confiança no setor de serviços, que produz dois terços do Produto Interno Bruto da zona do euro, subiu para 13,5 em janeiro, ante 13,1 em dezembro, superando as expectativas dos economistas.

As expectativas para a inflação ao consumidor e para os preços ao produtor também cresceram em janeiro.

(Por Philip Blenkinsop)

 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) confirmou que perderá o direito a voto em um comitê criado pelo governo para reformular a política de conteúdo local para o setor de petróleo, conforme a Reuters publicou no sábado, em um movimento que gera insatisfação entre fornecedores nacionais.

O comitê pertence ao Programa de Estímulo à Competitividade da Cadeia Produtiva, ao Desenvolvimento e ao Aprimoramento de Fornecedores do Setor de Petróleo e Gás Natural (Pedefor), instituído há um ano, sob a gestão de Dilma Rousseff, para criar estímulos às regras de conteúdo local na indústria de petróleo.

A decisão foi tomada após o governo entender que o comitê está modificando a política de conteúdo nacional, o que compete apenas a ele decidir, segundo explicou uma fonte da indústria de petróleo no sábado.

No caso do BNDES, o plano é alterar o decreto que criou o comitê e incluir como membro votante o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), ao qual o banco é vinculado.

"Como são os ministérios os responsáveis pela formulação das políticas de governo e o BNDES é vinculado ao MPOG, o banco entende que a mudança visa tornar o direito de voto nos Comitês do Pedefor compatível com esse princípio", afirmou o banco em nota.

Entretanto, o BNDES destacou que continuará a contribuir na formulação da política de conteúdo local na cadeia produtiva de petróleo e gás, como membro dos Comitês Técnico Operativo e Diretivo do Pedefor, em colaboração com o ministério.

Além do BNDES, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) também deixarão de votar no comitê, segundo informou a fonte.

Atualmente, fazem parte do comitê representantes do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), responsável por coordenar o comitê; dos ministérios de Minas e Energia (MME) e da Ciência, Tecnologia e Comunicações (MCTIC), além da ANP, do BNDES e da Finep.   

Uma das grandes bandeiras do PT, a política de conteúdo nacional determina que fatias consideráveis dos projetos sejam implantadas com equipamentos produzidos no país e mão-de-obra brasileira. Ela busca estimular a indústria nacional e aumentar a geração de empregos.

Por Marta Nogueira

CRÍTICAS

Ao longo dos anos, contudo, as regras como estão formuladas sofreram críticas das petroleiras, que a apontavam como um entrave para investimentos, devido a maiores preços dos fabricantes locais ou inexistência de fornecedores para determinadas estruturas e serviços.

Os movimentos para flexibilizar as exigências ocorrem sob a gestão do presidente Michel Temer, que quer atrair fortes investimentos de petroleiras estrangeiras, além da Petrobras, e que já anunciou uma série de leilões de novas áreas de exploração para 2017 e 2018.

O presidente do Conselho de Óleo e Gás da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), César Prata, que acompanha de perto as discussões, recebeu a informação da saída do BNDES, ANP e Finep com descontentamento. Segundo ele, os três órgãos representavam os interesses dos fornecedores nacionais de bens e serviços.

Prata disse à Reuters ter sido informado de que a reunião do comitê técnico, que seria na última sexta-feira, foi transferida para o dia 2 de fevereiro. Já uma reunião do Comitê Diretivo, que seria dia 31, foi transferida para 6 de fevereiro, para que haja tempo hábil para mudanças no quadro de votantes.

"O BNDES e a Finep naturalmente estão do lado da indústria, do lado da fabricação nacional. Não há ministro para nos defender (dentro do comitê). Vamos perder, o Brasil vai perder indústrias e empregos por falta de um comandante que perceba a tempo o que nos fizeram... as empresas extrairão nosso petróleo, sem pagar impostos e sem deixar contrapartidas ao povo", disse Prata.

O presidente do Clube de Engenharia, que reúne engenheiros da Petrobras e outras empresas, Pedro Celestino, também vê com preocupação as mudanças em curso nas regras de conteúdo local.   

"Nós não temos nada contra o capital estrangeiro, desde que seja um capital que venha para cá gerar emprego, pagar impostos, gerar tecnologia, mas o que se quer é nos reduzir à posição de colônia. Como os técnicos do BNDES e da Finep resistem a essa mudança, e a Petrobras hoje tem a mesma posição das petroleiras estrangeiras..., foram simplesmente afastados do comitê que está discutindo essa política", disse Celestino.

Procurados, MDIC, Ministério de Minas e Energia e Finep não puderam responder imediatamente. Já a Petrobras e a ANP preferiram não se manifestar.

(Edição de Camila Moreira)

SÃO PAULO (Reuters) - A companhia aérea Gol informou nesta segunda-feira que a margem operacional do quarto trimestre deve ficar no intervalo de 6,5 a 7 por cento, dentro da projeção da empresa divulgada em novembro e incluindo despesas de reestruturação de frota.

A companhia afirmou ainda que a receita por passageiro (Prask) cresceu 6,5 a 6,8 por cento no período na comparação com o quarto trimestre de 2015, "impulsionada pelas tendências da demanda e pela melhora dos yields (indicador de preços de passagens)".

 

TÓQUIO (Reuters) - A Toyota Motor perdeu uma liderança de quatro anos nas vendas globais de veículos para a Volkswagen, segundo dados divulgados nesta segunda-feira.

A montadora japonesa afirmou que suas vendas globais, que incluem as marcas Toyota, Lexus, Daihatsu e Hino Motors, subiram 0,2 por cento em 2016, para 10,18 milhões de veículos. O volume ficou abaixo dos 10,3 milhões divulgados pela Volkswagen, que conseguiu um recorde de vendas globais apesar do escândalo de fraude em testes de emissão de poluentes.

As vendas globais do grupo japonês foram apoiadas por um aumento de 5,5 por cento nas vendas de veículos Toyota no Japão, após lançamentos que incluíram o Prius. As vendas fora do Japão recuaram 0,6 por cento, com redução de demanda na América do Norte e Oriente Médio e África.

A Toyota, que vinha sendo maior montadora do mundo em vendas desde 2012, estima que as vendas mundiais devem subir para cerca de 10,23 milhões de veículos em 2017.

(Por Naomi Tajitsu)

CINGAPURA (Reuters) - O principal índice asiático caía nesta segunda-feira depois que as restrições à imigração adotadas pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, aumentaram as preocupações sobre o impacto das políticas da nova administração sobre o comércio e a economia.

O índice MSCI, que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão, tinha queda de 0,44 por cento às 7:39 (horário de Brasília. Os mercados chineses não operaram pelo feriado do Ano Novo Lunar.

O presidente dos EUA suspendeu na sexta-feira por 120 dias a permissão de entrada de refugiados no país, adotou uma proibição por tempo indefinido para refugiados da Síria e proibiu por 90 dias a entrada de cidadãos do Irã, Iraque, Líbia, Somália, Sudão, Síria e Iêmen.

O índice Nikkei do Japão também caiu nesta segunda-feira, com o fortalecimento do iene enfraquecendo as perspectivas de lucro para os exportadores japoneses e com as companhias financeiras recuando depois que dados mostraram que a economia dos EUA cresceu a um ritmo mais lento do que o esperado no quarto trimestre.

. Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 0,51 por cento, a 19.368 pontos.

. Em HONG KONG, o índice HANG SENG não operou.

. Em XANGAI, o índice SSEC permaneceu fechado.

. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, não abriu.

. Em SEUL, o índice KOSPI não operou.

. Em TAIWAN, o índice TAIEX permaneceu fechado.

. Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES não abriu.

. Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 recuou 0,92 por cento, a 5.661 pontos.

(Por Ayai Tomisawa e Nichola Saminather)

 

 

 

Tags: 
27 Janeiro
Recife
LEVE NABUCO AONDE FOR
Por Arlindo Batista

A campanha Leve a Nabuco aonde For vai premiar os alunos que carregam consigo a marca da instituição. Basta adesivar o carro com a logo da faculdade. Os participantes receberão um bônus de R$ 60 por mês.
 
Mais informações no site da Nabuco. Participe. 
 

Tags: 
27 Janeiro
Recife
CAPACITA - BI BUSINESS INTELLIGENCE
Por Aureliano Barros

Mais um CAPACITA de sucesso. Tivemos a honra de ter como nosso o palestrante Daniel Fernandes, falando sobre o tema: BI BUSINESS INTELLIGENCE.  Daniel Fernandes é Gerente de projetos e consultor nos projetos de gestão de desempenho empresarial, apoiando clientes na identificação de indicadores, definição de metas, planos de ação, desdobramentos e mineração de dados.

O palestrante tem experiência em empresas nacionais públicas e privadas como Claro, Grupo Tavares de Melo, FESP (Federação das Unimeds do Estado de São Paulo), CEMEC (Grupo JMacedo), SDS/PMPE (Secretaria de Defesa Social de Pernambuco), Rapidão Cometa, dentre outras. Projeto internacional na Coca-Cola Cingapura, Ásia. Projetos internos de melhoria contínua.

26 Janeiro
Recife
OPORTUNIDADE - INOVA TALENTOS
Por Arlindo Batista

Fiquem atentos para estas oportunidades na área de Sistemas da Informação. 

26 Janeiro
Recife
CAPACITA - Como Fazer Negócios no Linkedin
Por Aureliano Barros

Ontem tivemos mais um dia de CAPACITA na JOAQUIM NABUCO RECIFE. Foi um sucesso.

Um dos cursos foi o ministrado pelo Diretor de nossa unidade o Professor LEONARDO ESTEVAM - COMO FAZER NEGÓCIOS NO LINKEDIN.

Como ele mesmo fala: "Foi Show"

Tags: 
25 Janeiro
Recife
Calendário Acadêmico 2017
Por Maria Amélia

Prezados aluno, segue o calendário acadêmico do semestre 2017.1.

Atenção para o período de realização das provas, bem como para os prazos peremptórios pré estabelecidos.

 

As aulas dos alunos veteranos se iniciarão no dia 07 de fevereiro, enquanto que, para os novatos, dia 14 do referido mês.

 

 

JANEIRO

14 a 29

Período de Rematrícula, no qual deverão ser solicitados: trancamento, mudança de curso, mudança de turma, mudança de turno e dispensa de disciplina*;

30 e 31

Período de Matrícula de Retardatário, no qual deverão ser solicitados: trancamento, mudança de curso, mudança de turma, mudança de turno e dispensa de disciplina;

31

Encontro Pedagógico - Treinamento dos docentes;


               

FEVEREIRO

01, 02 e 03

Encontro Pedagógico - Treinamento dos docentes;

23

Publicação do Edital de Monitoria e TCC;

24 a 28

Recesso de Carnaval;

MARÇO

01

Recesso de Carnaval;

06 a 10

Período para eleição dos representantes de turma;

10

Último dia para requerer trancamento;

20 a 24

Período para reunião da coordenação de curso com os representantes de turma e conselho de curso;

31

Reunião ordinária do CONSUP e NDE;

ABRIL

06 a 12

1ª Avaliação do Semestre;

13 a 15

Feriado da Semana Santa;

21

Tiradentes - Feriado Nacional;

25 a 28

Oficinas Profissionalizantes

MAIO

01

Dia do Trabalho - Feriado Nacional;

08 a 19

Período para Autoavaliação Institucional;

22 a 26

Período para reunião da coordenação de curso com os representantes de turmas e conselho de curso;

31

Reunião ordinária do CONSUP e NDE;

JUNHO

05 a 09

2ª Avaliação do semestre;

12

2ª Avaliação do semestre para as disciplinas EAD/Semipresencial;

13

Prazo final para requerer 2ª chamada da 1ª ou 2ª avaliação (on-line);

14 a 20

Avaliação 2ª chamada (1ª e 2ª avaliações);

14 a 21

Semana de Revisão Vistas de Provas;

21

Avaliação de 2ª chamada para as disciplinas EAD/Semipresencial;

24

Feriado de São João;

26 a 29

Avaliação Final;

30

Avaliação Final para as disciplinas EAD/Semipresencial;

30

Final do semestre letivo;

 

24 Janeiro
Recife
I Congresso Internacional de Direito Penal e Processual Penal
Por Maria Amélia

I Congresso Internacional de Direito Penal e Processual Penal, organizado pelo grupo Ser Educacional.

O evento ocorrerá entre os dias 11 e 13 de maio de 2017, no Centro de Convenção de Pernambuco.

Aproveitem os valores promocionais

Participem!!

 

Anexo: 
24 Janeiro
Paulista
Exercício X Estresse
Por Michela Caroline

por Wagner Lima

Quem nunca ouviu falar que a prática regular de qualquer atividade física ajuda na diminuição dos níveis de estresse? Pois é! Mas para indicar de fato qual prática e em que grau de dificuldade devemos nortear a mesma para garantir melhores resultados, devemos sempre tomar como base as evidências científicas a respeito.

Seguindo esta linha coerente de raciocínio, podemos citar um estudo de revisão realizado por MACDOUGALL, J. et al, 1985, conduzido em mulheres com depressão que fumavam e usavam antidepressivos e sedativos. Foram diagnosticados saúde e capacidade funcional debilitadas e desempenho diminuído nas funções neuromuscular e cognitivas quando comparadas com as que não apresentavam depressão. 

Assim, o exercício que propicie um aumento da qualidade de vida e independência nas atividades diárias será de suma importância para minimizar a prevalência da depressão (Simão, R. 2004)

Por isso, sugere-se que o treinamento de força seja um modo de manter níveis de força, capacidade física, densidade óssea e bem-estar psicossocial, principalmente na população idosa. 

Essas hipóteses foram confirmadas quando relatou-se que o treinamento de força, associado ao trabalho aeróbio, favorece a qualidade de vida, tanto em idosos com níveis elevados de depressão, quanto baixos (MACDOUGALL, J. et al, 1985). Este mesmo autor também verificou que o treinamento de força realizado entre 70 e 80% de 1RM contribuiu significativamente para reduzir o estado de ansiedade em adultos. 

Sabendo disso, um Profissional de Educação Física, consegue trabalhar de forma objetiva e segura, no que se refere aos resultados, passando maior credibilidade ao seu cliente e valorizando cada vez mais sua profissão.

Aqui na Faculdade Joaquim Nabuco, preparamos um Curso de Educação Física que fará o estudante pensar sobre sua forma de atuação e acima de tudo, estabelecer sempre um critério dentro de sua forma técnica de atuação.

Escolha subir na vida você também! Vem pra Nabuco!

Inscrições abertas.

*maiores informações 2121.5979